google.com, pub-3288766866021009, DIRECT, f08c47fec0942fa0 Por Trilhas: Abril 2012

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Specialized anuncia o lançamento do modelo elétrico Turbo


Specialized anuncia o lançamento do modelo elétrico Turbo


Bike atinge 45km/h de máxima. Modelo deve chegar no Brasil no segundo semestre de 2014


Fotos de divulgação



A Specialized anunciou no final de março de 2012 o lançamento da Turbo, uma E-Bike que tem como principal atrativo o fato de atingir 45km/h de velocidade máxima, marca que excede o limite pemitido para esse tipo de veículo em muitos países.


A bike é do tipo Pedelec, ou seja, o auxílio elétrico só entra em ação se o ciclista pedalar. A bateria de lítio de 432Wh fica alojada ao longo do downtube e pode ser destacada da bike e recarregada em duas horas. A bateria também é recarregada ao serem acionados os freios.


O motor de 250 Watts é do tipo Direct Drive que atua diretamente na roda traseira.


Outro diferencial da Turbo é o comando wireless situado no punho (foto acima), com ele o ciclista comanda o farol (de LED) e as luzes traseiras. Um display mostra várias informações como velocidade, quilometragem, nível da carga da bateria, autonomia restante etc.





A bateria pode ser destacada do quadro para ser recarregada na tomada


As primeiras bikes devem ser entregues já no mês de abril de 2012 para testes junto a representantes da marca na Europa. Em maio a bike já poderá ser encontrado nos Estados Unidos, na Grã-Bretanha e em alguns países europeus.


Segundo o representante no Brasil, o modelo deverá chegar por aqui no segundo semestre de 2014. Especula-se que o preço na Europa deve ser pouco mais que 5 mil Euros.


FICHA TÉCNICA

PESO – Em torno de 21,5kg com a bateria (segundo o fabricante).

MOTOR – Specialized Turbo Direct Drive, junto ao cubo traseiro – corpo de cassete de 10 velocidades, 250 watts, design personalizado para melhor desempenho – conector à prova d’água.

INTERFACE REMOTA – Controle sem fio, display iluminado, controle remoto sem fio no polegar direito, integrada à manopla.

BATERIA – Integrada à parte inferior do quadro – travamento automático – carregável instalada na bike ou fora dela – LEDs indicadores de potência e carga – recurso de diagnóstico de arranque – conectores magnéticos – capacidade 432 W/h.

CARREGADOR – SBC Turbo carga rápida, conectores magnéticos, LED indicador no topo – design avançado tipo “fanless” (sem ventilador) com ruído zero – carga completa em 2 horas

QUADRO – Liga metálica personalizada Turbo, solda lisa, bateria totalmente integrada à parte inferior do tubo, roteamento interno dos cabos, tamanho 700c, “Head Tube” cônico, Eixos X12.

GARFO – Liga metálica personalizada Turbo, “Head Tube” cônico, suporte para eixo Q15, suporte de paralamas e para freio a discos.

CAIXA DE DIREÇÃO - 1 – 1/8” na parte de cima e 1 – 1/2″ na parte de baixo – rolamentos integrados.

MESA – Alumínio polido preto, Crankbrothers Cobalt.

GUIDÃO – Parte superior plana, liga metálica, 680 milímetros de largura, “oversized” 31.8mm, acabamento polido preto.

MANOPLA – BG XCT, e com remoto integrado no lado direito.

FREIO DIANTEIRO – Magura MT disco de Carbono, hidráulico, uma peça forjada, rotor Storm de 180 mm.

FREIO TRASEIRO – Magura MT disco de Carbono, hidráulico, uma peça forjada, rotor Storm de 180mm, switch integrado para ativar a travagem regenerativa.

ALAVANCAS DE FREIO – Magura MT Disco de Carbono, hidráulico – com alavanca de 2 dedos, braçadeira de carbono, placa lateral traseira direita para ajuste / mudança com ajuste de alcance.

TROCADOR TRASEIRO – SRAM XO, de 10 velocidades.

ALAVANCA DE CAMBIO – SRAM “DoubleTap”, alavanca chata, 10 velocidades (do lado direito), montagem direta.

CASSETE – SRAM PG 1030, 10 velocidades, relação 11-36 dentes, acabamento em preto.

CORRENTE – KMC X10 NP / Vivid Black.

PEDIVELA – FSA Gossamer Turbo BB30, liga metálica, 1×10, 110 mm BCD, 386 mega Evo BB, guarda de 4mm em carbono, inclui “BB tools” (ferramentas para movimento central).

COROA – FSA 48T liga metálica, 110 mm BCD, 5 ‘braços1.

MOVIMENTO CENTRAL – FSA 386 mega Evo.

AROS – Jalco DD32, 622x26c, liga metálica de parede dupla, sem ilhoses (non-eyelet), de 36 furos.

CUBO DIANTEIRO – Fórmula SP9177, liga metálica, com eixo de 15mm e borda usinada, 36 furos.

RAIOS – Dianteiros: DT Champion – aço inoxidável – 2,0 mm – Traseiros: DT Alpine – aço inoxidável – 2.34 / 2.0 mm.

PNEUS – Specialized Electrak, 700x45c, com arame e proteção Armadillo, 60 PSI.

CÂMARAS – Kenda PV 32, , com válvulas tipo Presta.

SELIM – Specialized Body Geometry Targa Pro – 155mm – trilhos de carbono.

CANOTE DO SELIM – Specialized Turbo – carbono, sistema especial p/ fixação dos trilhos de carbono – 30,9 mm x 400 mm.






By http://www.bikemagazine.com.br/2012/04/specialized-prepara-o-lancamento-da-bike-eletrica-turbo/



quarta-feira, 11 de abril de 2012

Como otimizar sua posição sobre a bicicleta


Como otimizar sua posição sobre a bicicleta





Tanto a posição de condução como a geometria da bicicleta podem mudar radicalmente o seu comportamento.

Em um mesmo quadro podemos ter diferentes características de condução e as alterações mais significativas podem ser obtidas de diversas maneiras:

1. A altura do selim é uma regulagem fundamental.

O selim deverá estar tão alto quanto possível, garantindo no entanto que a perna faça no máximo um ângulo de 120 graus quando o pé se encontra no seu ponto inferior. O fato de a perna ficar completamente esticada resultará certamente em lesões no joelho.

Por outro lado, deverá possibilitar que se ponha a ponta do pé no chão quando a bicicleta estiver parada.

Uma dica é fazer uma pequena marca no canote quando se obtenha a altura ideal do selim, de modo a colocá-lo na mesma posição quando for necessário desmontá-lo.

2. O avanço ou recuo do selim é uma alteração que pode modificar, sem nenhum custo adicional, a nossa posição de condução sobre a bicicleta.

Um selim puxado para trás permite uma posição mais estirada e, consequentemente, mais indicada para descer, visto que o peso se encontra mais atrás.

Para subir convém uma postura mais avançada, com o selim chegado para a frente, permitindo que se faça mais força sobre pedais. Ao mesmo tempo, o deslocamento do peso para a frente permite que na subida se consiga uma melhor tração traseira.

3. O ângulo e comprimento do avanço do guidão alteram significativamente o comportamento da bicicleta.

Um avanço curto resulta mais cômodo, pois o corpo vai mais erguido, destinando-se ao passeio, ou para pessoas com problemas de coluna.

Quando combinado com um guiador sobrelevado, destina-se essencialmente ao Freeride ou aoDownhill.

É recomendável, no entanto, um avanço comprido com um reduzido grau de elevação, permitindo um uso mais eficiente da bicicleta.

As medidas ideais situam-se entre os 100-110mm de comprimento e os 0-5 graus de elevação.

4. Os bar-ends devem estar bem regulados.

As funções dos bar-ends são estirar o corpo em trechos de velocidade, colocando as mãos nos extremos, e melhorar a posição de subida em pé, colocando as mãos lateralmente.

A posição ideal é a horizontal, com alguma variações para baixo ou para cima. A instalação com ângulos positivos ou negativos depende de cada um, mas o ideal será que estejam alinhados com o plano do guidão/avanço.

Se eles forem colocados com um ângulo muito positivo, durante as subidas poderão não desempenhar eficientemente os seus objetivos.

5. O comprimento do pedivela é um outro aspecto que não se tem muito em conta.

Quanto maior for o pedivela, maior será a alavanca e por isso maior a força incutida aos pedais. Por outro lado, quanto menor o tamanho, menor será a duração do ciclo do pedal.

O tamanho ideal do pedivela varia de acordo com a altura do cavalo – comprimento da perna medido pela sua parte interna da planta dos pés até a parte inferior do púbis.

Para uso normal, os tamanhos recomendados são os seguintes: altura do cavalo 65-70cm, pedivela 165mm; 71-76cm, 170mm; 77-81cm, 172,5mm; e 82-90cm, 175mm.

No entanto, para o aumento das performances desportivas, o tamanho do pedivela poderá ser aumentado.

6. A inclinação das manetes de freio é um ajuste importante e que permite evitar lesões no antebraço e punhos.

A instalação deverá ser efetuada colocando-se numa posição normal sobre a bicicleta, e estender os dedos das mão no mesmo alinhamento dos braços, tocando com a mão nos punhos do guidão. Obtém-se, assim, o ângulo de fixação das manetes.






Equipe PorTrilhas



terça-feira, 10 de abril de 2012

Cachoeira das Orquídeas - Votorantim-SP


Com Destino a uma nova cachoeira, onde tínhamos somente um ponto de referencia, "primeiro respiro da trilha da escadaria, desce a direita" e fizemos isso.. saímos do bombeiro de Votorantim as 8:00 com destino à estrada que da acesso a Represa de Itupararanga (Light), entramos pela portaria da estrada da fazenda situada na parte baixa da subida da Leiteria, fomos ate a entrada da trilha da cachoeira da Escadaria, e à partir desse ponto seguimos nossos pontos de referências, porem tem uma pequena entrada a direita na trilha que aparentava ser muito tentadora, bem a principio era, descemos pela trilha, mas não era muito boa, e acabamos tendo que empurrar e carregar a bike,