google.com, pub-3288766866021009, DIRECT, f08c47fec0942fa0 Por Trilhas: Novembro 2013

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

CACHOEIRA HIDRO - VOTORANTIM

Umas das cachoeiras mais bonitas frequentadas pelos que adoram a natureza e apreciam as nossas trilhas! É também uma das cachoeiras de mais fácil acesso em Votorantim.
Apresento a você a Cachoeira Hidro bem representada no vídeo feito por nosso amigo Evandro Soares do Bike Aventura Votorantim!



                             

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Copa Sudoeste MTB - Novembro 2013

Fotos: Kocão, Copa Sudoeste MTB e Ciclistas Itapeva

E ae pessoal!!

Domingo, 6:30am saimos de Sorocaba rumo a Capão Bonito para prestigiar os nossos amigos que iriam participar de uma prova de MTB! E desta vez não fui para correr! 
Me perguntaram se eu tinha saído de casa no domingo de madrugada para ASSISTIR uma corrida em uma cidade a 130Km de distancia!? Eu disse que sim, e posso garantir que a emoção de receber os amigos na linha de chegada é impagavel! Uma emoção tão grande quanto participar da corrida!!

Os que participaram chegaram cansados como esperado para uma prova. Os organizadores diziam que seria só estradão, teria uma trilhazinha ou outra, mas seria uma prova de dificuldade mediana e rápida! Acho que é como aquele papo de ciclista: "Esta é a última subida!" hehehe. 

Mesmo sendo um pouco longe, e o pessoal de Sorocaba estava lá, devidamente inscritos e infiltrados no meio da multidão!

Esse pessoal estava bem descontraído, curtindo o momento e tirando fotos!...


...E nesse mesma muvuca, estava a Carine na linha de largada, esperando pelo percurso, pela lama e pelas subidas!
 @Carine Rosa!

A Carine está ali no canto direito, perto do inflável vermelho!

Quando faltava 1 minuto para a largada, o Luis Sonvesso me convidou para ir a bordo do carro que iria puxar o pelotão, junto com as motos e com a Policia Militar.



Da caçamba da pickup consegui fazer ótimas fotos do inicio da prova! Tinham umas meninas também da organização da prova que estavam fazendo a filmagem da largada e algumas fotos também.


























 Aninha! A primeira das mulheres a cruzar a linha de chegada!

Quase na linha de chegada, a Carine tentou nos dar um susto e errou o caminho!

E por esse susto essa foto ficou toda cortada, mas publiquei pela felicidade estampada...



... pois ela era a segunda colocada e A DONA DO TROFÉU DO CAMPEONATO! 



 Quase que não passou! rs



 2º lugar!!! #SQN
Uma parte da grande turma Sorocabana que participou da prova!



 Pódio feminino da ultima etapa: 
1ª Aninha Ibanez
2ª Carine Rosa
3ª Larissa Brasa
4ª Aline Moraes
5ª Verinha Concuruto



E ai está!
O pódio do campeonato! Parabéns mulherada!

1ª Carine Rosa
2ª Verinha Concuruto
3ª Larissa Brasa
4ª Andreia Cristiane
5ª Luciene Bernardes

Parabéns também ao Luis Sonvesso e a toda equipe da Copa Sudoeste de MTB pela organização das provas! Este ano foi muito bom para o esporte e vocês estão ajudando na popularização do MTB quando passam pelas cidades do interior de SP. Esperamos que este campeonato fique cada vez mais conhecido!

Este post é também uma homenagem do Por Trilhas à Carine Rosa, que conquistou no domingo 24/11/13, o lugar mais alto do pódio no campeonato Copa Sudoeste de Moutain Bike!!


Parabéns parceira pela conquista! Quem esteve com você neste ano pode acompanhar a sua evolução e também as dificuldades que superou e passou com pneus da bike cheios de cravos por cima de tudo!!

Parabéns pelos troféus conquistados e pelas vitórias nos dois campeonatos: Copa Sudoeste e GP Ravelli!!

Outras fotos desta etapa aqui no nosso album!


Um abraço e até o nosso próximo post ou o próximo pedal!

Kocão

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Rota Gabriel Augusto - Nov. 2013


Eu não ia fazer uma postagem sobre esse assunto, pois essa noticia já foi televisionada e publicada na internet por grandes portais de informação, mas por dois motivos, mudei de idéia.


A história foi a seguinte:

Uma das turmas de pedal aqui da nossa região fez um convite pelo facebook para um pedal longo. Na descrição do convite dizia que era um pedal de aprox. 70Km epassaria por tres cidades antes de voltar ao ponto de partida (Votorantim).
No horário marcado, todos estavam no ponto de encontro e por ser um lugar comum aos ciclistas, outra turma de pedal estava lá esperando os convidados deles. Independente da turma de pedal, todos se conhecem e por isso, iniciamos a jornada pedalando juntos. O caminho que eles iriam fazer era comum ao nosso por aproximadamente 7Km. Seguimos então em ritmo de passeio pela estrada que chega na barragem da represa de Itupararanga em Votorantim (Estr. Mun. Votorantim - Piratuba). Essa estrada é asfaltada e tem transito calmo, mas até o ponto que iriamos nos separar dos nossos amigos temos duas subidas BEM íngremes e longas. Aqui na região, é conhecida como a subida da Leiteria. 
O nosso amigo Gabriel Augusto Alves Araujo começou o passeio com nós, para fazer o trecho dos 70Km. Esse pedal foi chamado de Tour do Carafá, por causa da Estrada do Carafá que é bem desafiadora e que liga as cidades de Votorantim, Alumínio e Mairinque, más, chegando no final da subida da Leiteria, não só ele, mas todos estavam cansados e ofegantes. Quando estavam todos reunidos já com o folego recuperado, dois amigos nossos perceberam que o Gabriel tinha sofrido para chegar no final daquela subida e, como ali ainda eram os primeiros 7Km, eles sugeriram que ele fosse com a segunda turma, que iriam fazer um pedal mais leve... O destino deles era uma cachoeira e depois voltar para casa. Ele foi sensato, topou a idéia e disse que iria treinar para ir nos próximos pedais!
A partir dai, foram nossos amigos que contaram a história... Seguiram por estradão de terra e por algumas trilhas até chegar a Cachoeira da Escadaria que é um lugar muito bonito e bastante visitado por ser um local de acesso muito fácil. Esse pessoal que esteve com ele na cachoeira tem inclusive fotos da turma ao redor do lago da cacheira! Depois, seguiram pela continuação desta trilha com rumo à Estrada Bonita até chegar ao asfalto. Depois do asfalto, rodaram mais uns 8Km até chegar na região central de Votorantim onde ele passou mal.


Então aqui, o meu primeiro motivo para fazer este post: 

A causa do falecimento do Gabriel foi ataque cardíaco. No caso dele, a família sabia que ele tinha um probleminha... sabia que ele tinha um sopro no coração, mas que praticava esportes regularmente e que nunca tinha apresentado nenhum problema mais grave. Os pais disseram que estava esperando completar 15 anos para fazer a cirurgia.
Nós normalmente começamos a andar de bike, pegamos gosto pela coisa e saímos pelo mundo! Achamos que, por andar tanto a pé durante o dia ou porque fazemos academia durante a semana, estamos exclusos de algum tipo de problema assim. Conversei com uma médica e ela deu um exemplo de um cara que praticava exercícios físicos intensos todas as semanas e em um exame médico com um cardiologista, foi diagnosticado um tipo de problema (ela disse o nome, mas eu não me lembro) que precisou ser tratado imediatamente.
Por isso, recomendamos que façam uma bateria de testes cardíacos, para saber como anda o seu coração. As vezes, um simples eletrocardiograma irá ajudar você a se prevenir de um susto......


O segundo motivo é mais legal!

Os nossos amigos Silvio Rodrigues e o Evandro Soares conversaram com a Roberta Alves, mãe do Gabriel e sugeriram em homenagem ao nosso pequeno grande amigo, que o trecho que chamamos de "tour do Carafá", agora será Rota Gabriel Augusto e que todo dia 15 de novembro faremos um evento convidando todos os bikers para esse passeio!



Achei essa uma homenagem muito bonita e por isso resolvi postar aqui!

Teve também uma coisa que a mãe dele disse aos nossos amigos que eu achei muito legal!: "seu sonho era fazer uma trilha de bike, e ele fez!"

Olha o Gabriel ai!!


Um abraço a todos e até o próximo post ou o próximo pedal!

Kocão

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Teste - Canote ajustável X-Fusion Hilo 2011


Teste - Canote ajustável X-Fusion Hilo 2011

Canotes ajustáveis começaram a surgir de 2009 para cá e agora estão se tornando cada vez mais populares e até equipamento se série de algumas bikes. Com a popularização do all mountain, a possibilidade de baixar e subir o banco sem precisar desmontar da bicicleta se torna algo muito bem-vindo, especialmente pela facilidade dessas bicicletas encararem terrenos muito técnicos, onde ter o banco baixo se torna mais seguro e divertido.

Nesse ano, também houve uma surpresa no uso dessas canotes: pilotos da elite do downhill mundial, como Gee Atherton, Steve Peat e Aaron Gwin competiram com esse tipo de canote na primeira etapa da Copa do Mundo, sendo esse último piloto o vencedor da etapa. O canote nesse caso deu a vantagem de "sprintar" com o banco alto em alguns trechos da pista.

imagem

A X-Fusion é uma marca de Taiwan, que produz suspensões para bikes há mais de 10 anos. Porém, muitos ainda não a conhecem porque apenas nos últimos 4 anos que a empresa começou a vender e divulgar com mais intensidade a marca para os consumidores. Antes desse período, a marca equipava apenas bikes que eram vendidas já montadas para o consumidor, o chamado OEM. Apesar de não ter a mesma fama que os gigantes do mercado, a marca últimamente têm mostrado força, patrocinando atletas como Aaron Chase, Mike Vine, Andrew Taylor, Tyler MacCaul, Sandra Tomlinson entre outros.
Características

Diâmetros: 27.2 mm , 30.9 mm e 31.6 mm.
Cores: Preto e preto com detalhes prateados.
Acionamento: alavanca no próprio canote ou acionamento remoto pelo guidão por cabo de aço (ambas incluídas).
Curso: 0 a 100 mm com ajuste infinito.
Funcionamento: ar
Peso: 646 g (modelo 31.6mm)
O Teste

Para testar o canote, convidamos o piloto Rodrigo Tiuma, que é competidor de downhill e tem como principal título o 2o lugar no estadual de downhill 2006 do RJ (sub 30). Tiuma já está muito envolvido com o all mountain e já usa o canote por mais de 4 meses nos seus rolés regulares.

imagem

A primeira coisa que se vem a cabeça é se realmente existe um benefício ou é apenas um capricho poder alterar a altura do banco sem precisar sair da bike. Especialmente levando em consideração que o canote pesa pelo menos o dobro que um canote comum. E a resposta depende do tipo de terreno que o piloto costuma pedalar. Para pedalar apenas em estradas de terra e sem trechos técnicos, realmente não há muita necessidade de baixar o banco com agilidade. Porém, a grande flexibilidade das bikes de all mountain está em ser uma bike leve capaz de subir com bom desempenho, mas também poder descer atropelando pedras, voando nos saltos e estando a altura das habilidades do piloto. Nesses casos, se torna óbvio a necessidade de um banco baixo. As fotos podem comprovar.

Nas palavras de Tiuma: "Comecei a ver muitas bikes no exterior usando canotes ajustáveis e mesmo sem nunca ter experimentado, resolvi arriscar. Já no primeiro rolé fiquei impressionado com a facilidade de uso e principalmente por passar mais veloz em trechos curtos que não valia a pena desmontar da bike para baixar o selim. Comecei com a alavanca no próprio canote, mas quando experimentei o acionamento no guidão, não consigo mais voltar atrás. O canote se tornou essencial para o tipo de rolé que eu faço".

imagem

Durante o período testado, o canote foi colocado em diversas situações: chuva, lama e impactos. Nada afetou o funcionamento do produto. É possível notar, uma folga lateral muito pequena quando forçado, porém é algo que não piorou durante os meses e, pelo menos nos nossos testes, não foi algo que chamou atenção durante o uso. Esta folga mínima pode fazer parte do sistema de funcionamento - natural.

O uso da alavanca tanto do canote, quanto do guidão, se mostraram suaves. Para o acionamento remoto, é preciso apenas seguir as recomendações básicas para colocação do conduíte, evitando dobras ou curvas fechadas. A possibilidade de travar a altura em qualquer intervalo entre 0 e 100mm traz flexibilidade, porém, o piloto preferiu manter a parte fixa do canote em uma altura já determinada para ficar ideal para pedalar quando tiver todo estendido. Com o ajuste de ar, também é possível ajustar a força em que o canote sobe ou desce, sendo ainda progressivo de acordo com o acionamento da alavanca: quanto mais forte acionar, mais rápido irá subir.

imagem

O maior ponto negativo do Hilo é o que atinge ainda os outros modelos: peso. Com 646 g, o canote não tá na faixa dos mais leves, porém oferece um ótimo custo-benefício, já que possui um ótimo funcionamento e o menor valor entre as outras opções disponíveis até agora no mercado.
Garantia e Investimento

O canote é distribuído no Brasil pela Scitex e o site oficial da marca é http://www.xfusionshox.com/.

O preço fica em torno de R$ 750,00 e possui 1 ano de garantia.
Conclusão

Se você não é neurótico por peso e nem competidor profissional de cross-country ou maratona, experimente um canote ajustável. A praticidade do sistema faz com que você ultrapasse mais trechos técnicos que antes não "valiam a pena" parar para abaixar o selim. O X-Fusion Hilo se mostra como uma opção confiável, com o menor preço do mercado.




Materia tirada do site PEDAL